quarta-feira, 15 de julho de 2009

CRISE ECONÔMICA

A crise econômica global que assusta a todos nós na atualidade não é nova. As suas raízes estão no início dessa década, com dois eventos: a queda do setor .com e os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.

Naquela época, com a sua economia fragilizada, o governo dos Estados Unidos reduziu os juros, o que é uma forma usada para se incentivar o consumo. Com juros menores, as pessoas compram e financiam mais, e a economia ganha força.

Os americanos, aos milhões, tiraram proveito dos juros baixos para financiar casas e apartamentos. As suas dívidas aumentaram consideravelmente. A situação econômica era estável, e todos esperavam poder pagar os compromissos sem maiores problemas.

Pois a situação econômica foi piorando, a inflação aumentou, e os juros tiveram que ser aumentados pelo governo. Os financiamentos, muitas vezes, tinham juros variáveis, fazendo com que pessoas que financiaram com juro baixo tivessem que, agora, pagar um juro mais alto.

Essa situação atingiu, em especial, os consumidores "sub-prime", justamente pessoas de baixa renda, com histórico de mau pagamento e uma vida financeira instável.

Essas pessoas deixaram, aos milhões, de pagar os seus empréstimos. Com isso, as financiadoras da casa própria foram atingidas. Essas financiadoras, por sua vez, não pagaram os bancos, que também foram atingidos. Logo, companhias seguradoras, outros bancos e o mercado da bolsa de valores estavam, todos, envolvidos na crise.

A crise tem muitos culpados. Consumidores iludidos com a situação financeira do país e que tomaram empréstimos que não poderiam pagar. Financiadoras que cobraram juros bem maiores que os de mercado para emprestar para quem não tinha histórico de bom pagamento. O governo central, que deixou a situação rolar sem interferir.

Em um mundo globalizado, consumidores, empresas, governos e mercados estão, todos, interligados. Isso pode ser para o bem ou para o mal de todos. Nesse caso, todos nós saímos prejudicados com a ganância dos bancos norte-americanos.

O Brasil, por fim, perde muito com a crise. Os juros bancários aumentam, a bolsa cai, o dólar sobe e o nosso país sofre. Esperamos que nem muito e nem por muito tempo.

15 comentários:

  1. muito legal os comentários sobre a crise econômica!

    ResponderExcluir
  2. realmente, muito interessante... concordo totalmente com o artigo

    ResponderExcluir
  3. O artigo foi totalmente a realidade.!

    ResponderExcluir
  4. muito bom o texto e achei muito legal essa idéia de frisar esse assunto

    ResponderExcluir
  5. Se tivessem resumido um pouco mais o texto talvez as pessoas que comentaram acima não estariam sendo tão irônicas! não há com que discordar do texto, pelo fato dele ser explicativo... Mas a iniciativa foi boa! Beijao!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelo artigo, achei ele bem explicativo, claro que existem outros fatores de extrema contribuição para a crise, como a quebra do Banco Lehman Brothers que pediu proteção sob o "Capítulo 11" (o capítulo da legislação americana que regulamenta as falências e concordatas).
    logo após à concordata, bolsas européias e americanas caíram bruscamente, tornando um problema financeiro em uma das maiores crises econômicas mundiais.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo assunto, esta bem abordado.
    O artigo esta muito bem elaborado, muito gostoso de ler, vcs estão de parabéns pelo trabalho.
    ;D

    ResponderExcluir
  8. Luiz Ignácio "Lula" da Silva27 de julho de 2009 11:38

    Muitu bon trabalio !

    ResponderExcluir
  9. O Nosso trabalho esta otimo, bem explicado, e muito bom! parabens para o grupo!

    ResponderExcluir
  10. ficou muito boa a conclusão do nosso grupo! estamos de parabéns né Portela?! :D

    ResponderExcluir
  11. parabéns heim :D muuito bom!

    ResponderExcluir
  12. Mickelangelo Astolfo14 de agosto de 2009 09:32

    Uma conclusão habituada ao esplendor da crise e seus conectivos.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  13. Parabéns, ótima a intenção! mas podem postar mais!!

    ResponderExcluir
  14. pensamentos emancebados

    ResponderExcluir